A | A+ | A++

INTRODUÇÃO

As áreas urbanas têm uma utilização intensiva do solo inerente à sua disposição no território, que se caracteriza pela grande durabilidade da construção, pela necessidade em infraestruturas de apoio, e pela sua irreversibilidade – física e económica – que torna praticamente impossível a sua recuperação. A construção implica a prévia “urbanização” do solo o que significa a construção de infraestruturas de todos os tipos – ruas e estradas, fornecimento de água, saneamento, recolha de resíduos urbanos, redes de eletricidade, redes de gás, telefone, etc. – que representam uma ocupação considerável. Também a construção de novos conjuntos de edificações cria novas exigências que multiplicam a necessidade de infraestruturas de escala local e regional com uma consequente maior ocupação do espaço.

O projeto UrbiLCA posiciona-se como uma capitalização dos projetos aprovados que se enquadram no Programa SUDOE Interreg IV B (2007-13), co-financiado com fundos FEDER no campo do desenvolvimento urbano e construção sustentável. Entre esses projetos inclui-se o projeto EnerBuiLCA “Life Cycle Assessment for Energy Efficiency in Buildings” (2011-12).

A fim de rentabilizar sobre os produtos e resultados do projeto EnerBuiLCA, há necessidade de expandir a escala espacial da ACV, alargando os limites do sistema dos edifícios para as zonas urbanas, projetadas como um agrupamento de edifícios e infraestruturas (estradas, ruas, parques de estacionamento, sistemas de abastecimento de água e energia, zonas verdes, sistemas de recolha de resíduos, etc.) que proporcionam uma série de serviços e permitem o desenvolvimento de atividades (como a mobilidade dos habitantes). Deste modo será possível modelar o impacte global das áreas urbanas (e não apenas dos edifícios), analisando a influência dos vários parâmetros que intervêm no design e planeamento do território.

Do ponto de vista científico, os marcos do projeto incluem a criação de modelos matemáticos dos processos e infraestruturas associadas ao ciclo de vida das áreas urbanas, incluindo as principais alternativas para o fornecimento de água, eletricidade e combustível, a mobilidade dos utilizadores, o projeto arquitetónico e equipamento dos edifícios, bem como a recolha e tratamento de efluentes e resíduos gerados.

O projeto é dirigido ao território SUDOE, considerando a semelhança de modelos urbanísticos, soluções construtivas, materiais utilizados e condições climáticas existentes nestas regiões, procurando soluções comuns ao desenvolvimento sustentável do sector da construção na área SUDOE.
 

REDE TEMÁTICA


SIGA: